Necessidade Energética - Calorias

30-03-2021
Photo by Anastasia Ulyanova on unsplash
Photo by Anastasia Ulyanova on unsplash

Quando preparamos uma comida para o nosso pet ou mesmo quando compramos um alimento industrializado, temos uma quantidade diária de comida que deve ser oferecida para o mesmo. Mas você já parou para pensar por que devemos dar aquela quantidade exata? E por que ela varia com a idade ou tamanho?

Sabemos que para o corpo funcionar ele precisa de energia, e que essa energia é obtida através da comida, principalmente dos três macros nutrientes (proteína, gordura e carboidrato).Na nutrição animal essa energia é conhecida como Caloria, e é representada através da unidade de Kcal (quilocalorias).

O que é o Gasto Energético? 

O Gasto energético é a energia que o organismo e as células gastam para manter o corpo funcionando quando: em repouso como na respiração, circulação, trabalho renal, hepático e nervoso; em atividade física; em digestão, etc.

Necessidade Energética 

Cada cão possui uma necessidade energética diferente, onde irá depender de uma série de fatores. Na alimentação Natural a quantidade diária necessária de cada pet será influenciada de acordo com:

- Escore Corporal: ao examinar um pet, devemos classifica-lo segundo seu peso, ou seja, se ele está no peso ideal levando em consideração sua raça e seu porte (mini, pequeno, médio, grande e gigante) se esta acima ou abaixo do peso ideal.


- Idade
Filhotes: eles estão em fase de crescimento intenso, por isso tem uma necessidade calórica mais alta variando de 7 a 10% do seu peso corpóreo nos primeiros seis meses de vida. Essa fase de crescimento varia de 10 a 24 meses dependendo do porte, por exemplo, raças de porte pequeno atingem a fase adulta mais rápido que os de porte grande ou gigante que atingem aos dois anos de idade. É necessário pesar o seu filhote a cada mês para reajustar a quantidade diária com base ao peso atual do mesmo.

Adulto: a quantidade necessária para adultos irá variar de 3-10% do peso corporal ideal do pet, nessa fase, também, o porte do cão estará diretamente associado a porcentagem usada, por exemplo: cães de porte pequeno (5-10 Kg) irá receber uma quantidade diária de 4-5% do seu peso ideal, já um cão de porte grande (22-40Kg) terá uma porcentagem mais baixa, entre 3,5% a 4,5%. Isso por que os cães de porte grande e gigante necessitam de menos calorias que os de porte mini e pequeno, pois cães pequenos possuem um metabolismo mais rápido necessitando mais calorias.

Idosos: os cães idosos na alimentação natural irá ter o mesmo raciocínio de cálculo igual para adulto. Sabemos que os pets idosos possuem mais predisposições a doenças e ao sobrepeso, por isso terá que ter um acompanhamento mais frequente ao veterinário, para controle de peso e de exames de rotina para controlar a saúde do mesmo e sua necessidade calórica. 

-Atividade Física: a porcentagem acima tem uma margem que se pode ser usada. Para cães mais ativos usaremos uma porcentagem maior, par cães menos ativos ou inativos, sua porcentagem será consequentemente menor.


- Estados especiais como fêmeas lactantes ou gestante.

- Castrado ou Inteiro: animais castrados tem uma predisposição maior a obesidade, por isso é indicado o uso da porcentagem mínima ou 0,5% a menos do que esta sendo oferecido, caso já esteja com a alimentação natural, para a prevenção de ganho de peso.

Portanto, quando se adere à rotina de uma alimentação natural, é necessário um controle de peso mais frequente, normalmente a cada duas semanas, para verificar se a quantidade fornecida de alimento esta sendo suficiente para o corpo. Se o pet está perdendo peso, é necessário usar uma porcentagem maior, já se esta ganhando peso se diminui a quantidade.

É importante que os cães mantenham um peso em forma e que o mesmo seja acompanhado por um médico veterinário. Isso será possível, principalmente, através de uma alimentação balanceada, evitando excessos de quantidade calórica e estimulando a prática de atividades físicas.